sexta-feira, 19 de agosto de 2011


Eu constantemente me perco do que deveria ser, então, debaixo de sete chaves mantenho guardado em palavras tudo aquilo que eu queria viver e evito pra não decepcionar ninguém. Grande parte é imaginação, é refúgio... e o que há de mais cinza e superficial dentre tudo que é dito, faz parte da minha realidade. Tem noites em que a confusão de pensamentos evitados é tão intensa que minha cabeça doí, grita... Ah, mas eu vou tentando resistir, sabe? Ficar quieta e aguentar como todas as outras pessoas, mas só consigo adormecer se desabafar - lê-se: desabar - em algumas entrelinhas onde deixo subentendido meus mais profundos e sinceros medos. Toda e qualquer frase minha, silencia um 'querer'. Querer dizer, querer fazer, querer viver e somente, sobreviver. Tu me roubastes o pouco de coragem que tinha e hoje vou sufocando sem conseguir fugir.
Tenho me sentido tão sozinha... tão pequena. Temo que minha vida seja uma eterna espera... um dia, eu consigo resistir "e vou voar pelo caminho mais bonito." (8)

_______________________________________________________________
Por mais que meus recentes posts estejam diferentes, e/ou não façam muito sentido, eles são válidos pra mim, são recordações nítidas que tento guardar aqui, entende?
Abraço, até mais.

3 comentários:

David Marinho/ @DaviidMarinho disse...

É sempre bom expor oque sentimos, né verdade? Por mais que muitas pessoas que nós tomamos inspirações para crias essas maneiras de "desabafo" não saibam o quão é doloroso usar desse ultimo refúgio... usar essas recordações, que pra mim, não são muito boas. Não é só você que está se sentindo assim...
Também criei/crio personas inspiradas em pessoas.
Adorei, me identifiquei muito com esse texto. Parabéns.

Eduardo o/ disse...

gostei do texto

pareceu sincero

li em um único folego.

achei bacana

http://oarlecrim.blogspot.com/

Matheus disse...

É falou com palavras saídas do fundo do coração e a mais sinceras e emocionais possíveis....