quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Outra vez, o tom de cinza nas núvens.

Repetia frases feitas com tanta convicção que vez por outra, eu mesma me encontrava tendo de decidir se podia ou não acreditar no que tinha acabado de falar. Mas fazia isso como uma espécie de proteção, sabe? Se ousasse dizer o que realmente estava sentindo, aposto que em menos de alguns segundos, estaria completamente sozinha sob incontáveis olhos julgadores. Talvez houvessem mesmo aqueles que ficariam por perto segurando a minha mão, esperando pra fugir ao meu lado quando eu decidisse explodir, porém, já me senti sozinha por tanto tempo que é extremamente dificil acreditar que haja alguém disposto a cuidar de mim. É, 'havia um nó na garganta impossível de expressar em palavras', ia me sufocando lentamente, tirando a respiração, mecanizando os sorrisos... Acabou... Acabou e eu estava partindo como quem tem plena certeza do quanto ainda está por vir mas é covarde demais pra se deixar sentir.

2 comentários:

David Marinho/ @DaviidMarinho disse...

10! Esse eu adorei! mesmo.
(Eu ficarei aqui, cntg ^^. Sempre!)

Tk disse...

Sempre esconder o que sente, é a melhor proteção contra todos, principalmente "daquele" que tem "domínio" sobre. E um algo mais sobre isso? Ninguém pode saber...

Sério, amei mesmo...